• 9 informações importantes sobre o Clareamento Dental.
  • Blog
  • Inicial

Blog

9 informações importantes sobre o Clareamento Dental.

Cada vez mais as pessoas procuram por dentes brancos e nessa busca vemos surgir diariamente dicas e receitas de uso de substâncias, naturais ou não, que prometem clarear os dentes de forma barata e sem muito esforço.

A má notícia é que muitas delas, além de não funcionarem, podem prejudicar seus dentes. Entre as que parecem dar certo, o máximo que acontece é que elas podem limpar os dentes e dar a sensação ilusória de que eles estão mais brancos, coisa que uma boa limpeza também resolve e sem riscos de danificar o esmalte dentário.

Se você não está contente com a cor dos seus dentes e pretende clareá-los, a melhor coisa é informar-se antes sobre esse procedimento odontológico, para então decidir se você optará pela segurança (mesmo que gaste um pouquinho) ou pela aventura de arriscar seus preciosos dentes com dicas sem fundamento científico.

Por isso, selecionamos 9 informações que julgamos importantes para qualquer pessoa que pense em clarear os dentes:

1)      Substâncias clareadoras

Existem duas substâncias capazes de clarear os dentes: Peróxido de Hidrogênio ou Peróxido de Carbamida. Ambas são em formato de líquido ou gel para aplicação nos dentes e apresentam diferentes concentrações de acordo com a frequência, tempo de uso, método utilizado.  Seu Cirurgião Dentista saberá prontamente distinguir qual será a substância mais indicada ao seu caso  conforme o método de clareamento aplicado.

2)      Métodos

Entre os métodos de clareamento dental temos: o clareamento com moldeiras e o clareamento feito em consultório. Em termos de resultados finais, os dois são muito satisfatórios, mudando apenas o trabalho e o tempo que o paciente pode dispensar até o resultado final. Inclusive, os dois métodos podem ser conjugados, sendo que esta opção potencializa o resultado final.

Clareamento com moldeiras

Este tipo de clareamento dá um pouquinho de trabalho para o paciente, é feito de forma lenta, minimiza a sensibilidade dentinária e apresenta resultado mais duradouro, além de ser de menor custo.

Consiste no uso de moldeiras de silicone nas quais aplica-se o gel e o paciente usa por um determinado período do dia, que pode ser de uma a quatro horas conforme a concentração. Se feito de forma ininterrupta, em até 15 dias os dentes já adquirem um resultado bastante satisfatório. O legal desse método é que paciente e dentista podem controlar gradualmente os resultados (o tom de branco que o dente passa a adquirir) além de controlar eventuais intercorrências como a sensibilidade que pode acontecer durante o processo de clarear os dentes. Caso ocorra muita sensibilidade, ele pode ser interrompido a qualquer momento e em alguns dias a dor desaparece.

Clareamento em Consultório

O clareamento em consultório é recomendado para quem não tem tempo, paciência, e quer resultados rápidos. Ele funciona com um gel com maior concentração de peróxido de hidrogênio ou de carbamida que pode ser ativado por uma fonte de luz, podendo ser laser ou led. É importante salientar que não há diferenças entre as fontes de luz para o resultado do clareamento, as duas cumprem a função adequadamente. Este tipo de clareamento, por ser um pouco mais agressivo, pode causar bastante sensibilidade dentinária, sendo contraindicado especialmente para pessoas que já apresentem dentes sensíveis. Na primeira sessão o resultado já aparece e em média são necessárias duas a três sessões para atingir a cor ideal.

3)      Efeitos colaterais

O clareamento dental virou moda e a procura por esse procedimento é bastante grande. No entanto isso não o torna um procedimento inocente e que não ofereça riscos aos pacientes. Os efeitos colaterais podem ser maiores quando o procedimento é feito em excesso, de maneira incorreta e sem acompanhamento. 

Entre os riscos mais comuns estão:

  • A sensibilidade dentinária que pode ser excessiva e causar muita dor.

  • Irritação na gengiva, como se fosse uma espécie de queimadura.

  • Pode causar inflamações na gengiva e na polpa do dente, bem como comprometer estruturas que dão sustentação aos dentes, como osso e ligamentos.

  • E por fim, pode levar à necrose pulpar (morte da polpa do dente), sendo necessário um tratamento de canal.

4)      Clareamento em dentes não vitais 

O clareamento com gel (com moldeiras ou em consultório) é mais efetivo em dentes vitais, ou seja, dentes que não passaram por tratamento de canal.

Ao fazer um tratamento de canal pode acontecer um escurecimento interno do dente, esse tipo de escurecimento não é tratável com o clareamento que estamos conversando aqui. Nesse caso, o processo para clarear é outro, trata-se de um clareamento interno, realizado naquele dente específico e não será mencionado aqui. Caso seja de seu interesse, consulte um dentista para maiores informações sobre esse procedimento.

5)      Restaurações e próteses não clareiam.

Dentes com restaurações possuem limitação, pois o material restaurador não clareia, o mesmo ocorre com as próteses. Após passar pelo processo de clareamento, as restaurações e próteses devem ser trocadas para acompanhar o novo tom de branco dos dentes.

6)      Os resultados não são para sempre.

Os efeitos de um clareamento dental podem durar mais ou menos, dependendo do método de clareamento, da quantidade de alimentos com corantes que o paciente consome, bem como de seus hábitos. 

A duração média em pacientes cuidadosos, que fazem limpeza profissional ao menos uma vez ao ano e com boa higiene bucal é de 2 a 3 anos. Após esse período, pode ser necessário um “retoque”, que pode ser uma nova sessão de clareamento em consultório, ou o uso do gel em moldeira para readquirir o tom de branco. De qualquer forma, o retoque nesse caso é facilitado.

7)      Há limites para o clareamento.

Não são todos os dentes em todos os tipos de pessoas que adquirem um tom “branquíssimo”.  Além disso o sorriso não pode ficar muito artificial.

Os dentes possuem algumas características que não podem ser mudadas e tom máximo a clarear é uma delas, portanto não é todo mundo que consegue um dente super  branco, as características de cada paciente são fatores limitantes.

Isso é importantíssimo de saber para evitar frustrações.

8)      Durante, e alguns dias após o tratamento, é necessário fazer restrições alimentares.

Alimentos com grande capacidade de corantes (naturais ou sintéticos) ficam proibidos durante o tratamento, pois além de atrapalhar o resultado final, podem causar manchas nos dentes, uma vez que eles ficam mais porosos e suscetíveis à penetração dessas substâncias. Não esqueça de que o clareamento é um tratamento agressivo ao dente, o isso não é problema desde que haja supervisão. Após o término do tratamento, o dente se recupera totalmente.

Segue uma pequena lista de alimentos proibidos para quem está passando pelo processo de clareamento dental:

Entre as bebidas podemos citar: cafés, refrigerantes, vinhos, suco de uva, achocolatados, sucos à base de soja, entre outros.

Entre os alimentos sólidos é recomendado evitar especialmente: beterraba, alimentos com molho de tomate, doces industrializados como balas e pirulitos que contém muito corante.

O uso de bom senso na hora de verificar se o alimento pode ou não manchar os dentes é bem vindo. Na dúvida, é melhor não consumir determinado alimento, afinal o clareamento é transitório e depois que tudo terminar você estará bem feliz com o resultado e poderá voltar a se alimentar normalmente.

Um aviso aos fumantes: O clareamento em fumantes pode ser contraindicado, pois a nicotina tem alto poder de manchar os dentes. Não recomendamos o clareamento dental se a pessoa não tem a intenção de parar de fumar! Aliás, esta pode ser uma boa oportunidade de parar, não é mesmo?

9)      Cremes dentais clareadores não substituem o tratamento de clareamento dental.

Esses cremes dentais não tem a capacidade de alterar a cor dos dentes como o gel de clareamento dental. Portanto não podem atuar como substitutos de todo esse processo. No entanto eles podem ajudar na manutenção dos dentes brancos, mas com certo cuidado, pois possuem alto poder de abrasão o que pode causar danos ao esmalte do dente. Use com cuidado e sempre que houver dúvidas, ou você perceber algum sintoma como dor ou sensibilidade, suspenda o uso e consulte seu dentista.

Acreditamos que agora você já tenha conhecimento suficiente para decidir como clarear seus dentes.

Mantenha uma boa higiene bucal, visite seu dentista regularmente e tire todas as suas dúvidas com um profissional capacitado. Dessa forma você terá dentes bonitos e muita saúde para sorrir!

blog

Ferramenta: POW Sites