• Tudo o que você precisa saber sobre a Placa Bacteriana
  • Blog
  • Inicial

Blog

Tudo o que você precisa saber sobre a Placa Bacteriana

Desde crianças aprendemos que devemos escovar os dentes para remover as bactérias causadores da cárie. Primeiro aprendemos que nossa boca contém uns bichinhos que se não forem removidos pela escovação atacarão nossos dentes e os deixarão doentes. E assim vamos crescendo com medo desse terrível ataque! Mas afinal, o que são esses “bichinhos”, o que eles causam, como eles habitam nossa boca, como combatê-los?

Agora que estamos mais crescidos é o momento de aprendermos corretamente sobre a placa bacteriana!

Por volta do final do século 17, com a recém descoberta do microscópio, pesquisadores encontraram milhões de pequenos seres (bactérias) que habitavam a boca. Bem mais tarde já no início da década de 1990, pesquisadores de Boston conseguiram criar uma metodologia para identificar tais germes e essas novas técnicas já identificaram mais de 700 especies diferentes de bactérias que habitam a cavidade bucal.

Estes pequenos seres habitam toda a nossa boca, alguns se aderem aos dentes, outros à nossa língua, alguns na bochecha e tem os que prefiram a gengiva. Eles ainda são capazes de se unirem e trabalharem em conjunto, temos um verdadeiro exército de germes organizados e contra os quais temos que lutar diariamente.

Uma das bactérias mais conhecidas e estudadas é a Streptococcos Mutans, que se alimenta de acúcares e  libera ácidos que são capazes de destruírem o esmalte dos dentes e provocar a cárie dentária. Esse é só um, mas é o “bichinho” que as crianças tanto ouviram e ouvem falar.

Como vimos não temos apenas uma, mas milhares de bactérias em nossa boca. Como elas têm o poder de se unirem, todos os dias forma-se o que chamamos de biofilme ou placa bacteriana, que se não removido corretamente causará além de cáries, gengivite, periodontite, mau hálito e uma série de transtornos pelos quais ninguém quer passar.

Ao sorrirmos, falarmos, comermos, beijarmos, essas bactérias estão entrando, saindo e se multiplicando em um trabalho constante em busca de organização dentro da cavidade oral.

Consigo eliminar a Placa Bacteriana?

 

A essa altura você pode estar querendo saber como livrar-se da placa, e a resposta é que não tem como.

A placa bacteriana faz parte de nós e o que devemos fazer é diariamente quebrar a organização dela.

E a melhor forma de fazer isso é por meio do uso correto da escova e do fio dental.  Não há mágica, somente a remoção mecânica diária é que evita que esses seres nos façam mal.

Ao escovar os dentes nós quebramos a formação da placa, mas logo em seguida as bactérias começam a se unir novamente, então escovamos de novo e atrapalhamos essa união novamente e assim acontece todos os dias.

Por isso recomenda-se escovar os dentes ao menos 3 vezes ao dia, para quebrar a união da placa bacteriana e evitar que ela danifique as estruturas (dentes, gengivas, língua) de nossa boca.

Porém não dá para escovar os dentes de qualquer maneira, existe um jeito certo de manusear a escova e utilizar o fio dental para limpar corretamente as estruturas de aderência da placa.

Seu dentista é a pessoa ideal para te ensinar como fazer.

Em sua próxima consulta peça uma orientação de higiene bucal e confira se você está fazendo a sua corretamente.

Saiba como identificar acúmulo de placa bacteriana na sua boca.


Quando não removida corretamente, a placa deixa alguns sinais, se você souber identificá-los, fica mais fácil evitar problemas maiores como cáries e problemas de gengivas que podem levar inclusive a perda de dentes.

A superfície dos dentes no lado da língua e dos lábios deve ser lisa, sem rugosidades, faça o teste: passe a língua em seus dentes agora mesmo e sinta. Se eles estiverem ásperos e com uma sensação de rugosidade, pode ser um sinal de que tem placa bacteriana acumulada!

Outro sinal de que a placa não está sendo removida adequadamente é o sangramento da gengiva. Uma gengiva de aspecto normal e bem cuidada tem a cor rosa, é firme e não sangra.

Se sua gengiva apresenta algum sangramento, por menor que seja, ou está mais avermelhada, capriche melhor na escovação e procure um dentista para orientação e diagnóstico. Você pode estar com um quadro de gengivite ainda reversível e fácil de tratar. Não deixe piorar, ok?

Você consegue perceber bem a placa na superfície dos dentes com a língua e na gengiva por meio da cor e do sangramento, mas entre os dentes já fica mais difícil, por isso é importantíssimo o uso de fio dental, pois nesses locais a escova não chega e de repente você pode descobrir uma cárie já em estágio avançado.

Um outro local fácil de visualizar a placa bacteriana é a língua, pode-se notar uma camada esbranquiçada ou amarelada na superfície dela a qual chamamos de “saburra lingual”. Trata-se de um acúmulo de bactérias que podem causar principalmente o mau hálito. Ela se forma principalmente na parte posterior da língua. A escovação da língua também deve ser um hábito e pessoas com a boca mais seca, com menos saliva devem ter cuidado redobrado.

Consultas de rotina com um dentista são importantes para verificar profissionalmente estes aspectos.

PLACA BACTERIANA CALCIFICADA – TÁRTARO


Você também já deve ter ouvido falar em tártaro...

Tártaro nada mais é do que a placa bacteriana não removida que se juntou com cálcio e outros minerais, também presentes em nosso organismo e tornou-se uma camada dura e amarelada que cobre os dentes e fica também entre os dentes e a gengiva.

O tártaro transforma a superfície dos dentes em locais receptivos para mais e mais bactérias se acumularem e com isso causa gengivite que pode evoluir para periodontite, causando colapso em todas as estruturas que sustentam os dentes, acarretando na perda deles, bem como  podendo comprometer a saúde geral das pessoas em estágios avançados.

Enquanto a placa bacteriana é mole e pode ser facilmente removida com a escova e o fio dental, o tártaro somente pode ser removido por um dentista, pois exige raspagem, alisamento e polimento dos dentes para devolver a superfície lisa e saudável, bem como evitar o avanço da gengivite.

Faça um autoexame e se você não vai ao dentista há algum tempo, talvez seja melhor agendar um consulta para garantir que tudo esteja bem com sua boca.


E como conviver com a formação da placa bacteriana?


1)      Escove os dentes corretamente 3 vezes ao dia.

2)      Utilize o fio dental para limpar corretamente os pontos onde a escova não alcança.

3)      Escove a língua.

4)      Consulte seu dentista regularmente e faça uma limpeza profissional de acordo com a frequência que o profissional achar melhor para você. Em alguns casos ela pode ser anual, outros semestral e tem situações que necessitam maior atenção trimestral ou mesmo mensal.

blog

Ferramenta: POW Sites